Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Às 23h

Livros na Minha Cabeceira

Às 23h

Livros na Minha Cabeceira

Opinião: Manual de Sobrevivência de um Escritor

Sara, 04.08.20

Autor: João Tordo

Editora: Companhia das Letras

Ano de Edição: 2020 (1ª edição)

N.º Pág.: 213

ISBN: 978-989-665-975-2

 

Sinopse:

O que é um escritor? Como vive? Como cria? Como sente? Partindo das suas memórias do ofício, João Tordo esboça neste livro uma espécie de manual para todos aqueles que se interessam pelo mundo da escrita sejam escritores a dar os primeiros passos ou leitores curiosos. Misturando humor e pragmatismo, memórias de vida e conselhos úteis, o autor abre as portas da sua actividade e da sua relação com a literatura e a vida a todos aqueles que experimentam a magia da ficção.

 

Opinião:

O Manual de Sobrevivência de um Escritor (ou o Pouco que Sei Sobre Aquilo que Faço) de João Tordo marca a minha estreia com este escritor. Esta foi a primeira obra sugerida no Projeto "À descoberta de... João Tordo" de Maria João Covas, para Julho - obrigada Maria João!!

 

João Tordo apresenta-nos um ensaio sobre a relação do escritor com o processo de escrita (enredo, título, técnica, etc.) e com outros temas relacionados com a escrita, como a inspiração, a angústia de se criar um segundo livro após publicação do primeiro, as ilusões que alguém que deseja ser publicado tem sobre a vida de um escritor e as tentativas que acabam na gaveta.

 

Se já tentaram escrever, se já publicaram ou se são amantes de livros irão, provavelmente, rever-se em algumas partilhas pessoais de João Tordo, como as idas à Feira do Livro enquanto criança e na dificuldade de encontrarmos a nossa voz quando escrevemos:

"Durante muitos anos, sentei-me à secretária do meu antigo quarto em casa dos meus pais e imitei outros escritores. (...) Imitava os outros, julgando ser eu. (...) Ao mudar, arriscamos, lançamo-nos na incerteza. Olhamos para a página em branco - depois de um longo caminho de imitação e, mais tarde, de tentativa e erro - e começamos verdadeiramente a escrever. Por fim, poderás escrever o que é teu e só teu"

 

Acabada a leitura, não é livro com destino à prateleira. É um livro para se ter sempre à mão, para ir abrindo ao acaso, para relembrar conselhos, referências (são tantas - um verdadeiro tesouro!) e sentimentos.

 

A escrita e a forma como João Tordo exprime os seus sentimentos deixaram-me rendida. Se os romances tiverem o mesmo impacto em mim, terá aqui mais uma leitora assídua!

 

Pontuação: 9/10