Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Às 23h

Livros na Minha Cabeceira

Às 23h

Livros na Minha Cabeceira

O Meu Pé de Laranja Lima

Sara, 12.08.09

“O leitor vai encontrar a história comovente do menino Zezé, de seis anos, um rapaz pobre, inteligente, sensível e carente. Com a falta de afecto que não encontra na família, o endiabrado rapaz vai pelas ruas fazendo mil travessuras.

Zezé aprende tudo sozinho, é o “descobridor das coisas”. Descobre a ternura e o carinho no amigo “Portuga”. Inventa para si um mundo de fantasias em que o grande confidente é o Xururuca, o pé de Laranja Lima. Mas a vida ensina-lhe tudo demasiado cedo, e Zezé descobre o que é a dor e a saudade – “Por que contam coisas às criancinhas?”.”
 
José Mauro de Vasconcelos conta-nos uma história muito bonita e comovente sobre um menino de cinco anos, pobre e de grande coração, Zezé, que apesar de pertencer a uma família muito numerosa se sente sempre muito sozinho. A família de Zezé passa por maiores dificuldades quando o seu pai é despedido da Fábrica. Quando chega o Natal toda a situação se torna ainda mais real quando nenhuma das crianças recebe uma prenda e Zezé interioriza que isso só pode ter acontecido por ser um mau menino ou por o Menino Jesus não gostar de pobres já que um amigo dele, de famílias ricas, recebeu imensas prendas pelo Natal.
Zezé não é uma criança qualquer, é extremamente inteligente, gosta de aprender palavras difíceis e até aprendeu a ler sozinho. Mas também tem algumas características comuns à sua idade, ele gosta de pregar partidas, é um traquina mas sem qualquer maldade no coração. No entanto, em casa não lhe perdoam estas brincadeiras e acaba por ser castigado, até mesmo várias vezes ao dia, tornando o seu corpo testemunha de toda as sovas que apanhou.
 
Zezé faz de um pé de laranja lima o seu amigo, companheiro de brincadeiras e contentor de angústias. Mais tarde, encontra em Manuel Valadares, um velho português, ternura e amor como nunca recebeu em casa. Infelizmente é também com o seu novo amigo que Zezé conhece a maior infelicidade e se apercebe que a maior dor não é aquela que dói no corpo mas sim no coração.
 
A obra é de leitura muito simples mas de tema profundo. Se a pobreza já é por si uma situação muito triste, apresentada por uma criança ainda nos toca mais o coração…
 
Nota: Esta obra tem continuação em “Vamos Aquecer o Sol”, do mesmo autor, onde Zezé já é um pré-adolescente e mora agora com a família do seu padrinho. A sua imaginação continua a criar amigos que lhe fazem companhia, desta vez um sapo e um artista serão os seus companheiros.
 
 

1 comentário

Comentar post